segunda-feira, 17 de setembro de 2007

SuperNanny


Mary Poppins virou auto-ajuda!!!


Será que você já viu o filme da Disney (eca!) “Mary Poppins” (de 1964)? A trama consiste na intervenção miraculosa de uma super-babá com poderes mágicos que muda uma família inglesa desestruturada. Inspirado nesse clássico moderno foi criado o Reality Show “SuperNanny” (não por acaso na Inglaterra), que conta atualmente com uma versão de sucesso no Brasil, estrelado por Cris Poli no papel da babá que, ao contrário de Miss Poppins não usa passes de mágica mas sim técnicas comportamentais (apesar de não assumir).

A palavra-chave da abordagem de Cris Poli, que aliás ela repete diversas vezes ao longo de cada episódio é disciplina. A intervenção da super-babá consiste basicamente em gerar, através de técnicas clonadas da Terapia Comportamental (sem contudo referenciar jamais a fonte!) práticas de rotinas saudáveis na família (como refeições à mesa com todos juntos, diálogo, reconhecimento, etc).

SuperNanny usa técnicas tais como time-out, extinção, imitação de modelos, reforçamento negativo, esquemas intermitentes de reforço, etc. Mas, como eu disse, ela nunca cita Skinner nem nada do gênero. (Interessou-se pelos procedimentos? Vá estudar Análise Experimental do Comportamento porque no show da TV você não vai aprendê-los de verdade!)

Um elogio que tenho que fazer ao show televisivo é esse: ele é um bom divulgador, numa mídia aberta, da Terapia Comportamental. Isto é, ao menos milhares de pessoas passaram a saber que existe algo na Psicologia além da Psicanálise ao ver esse show.

A crítica mais severa que tenho a fazer é a de que o show, até por motivos de lógica televisiva (como ter que aglutinar uma intervenção por episódio de cerca de 40minutos), reduz a intervenção a algo que parece simples. Tal como no filme "Mary Poppins", parece mágica o que Cris Poli faz. Muitas vezes na vida real as intervenções são mais longas, custosas, desafiadoras, frustrantes. Além disso muitos pais que viram Cris Poli agindo na TV podem achar que "é fácil" e sair simplesmente aplicando “tecninhas” sem saber ao certo o que estão fazendo ao invés de procurar ajuda profissional. (Por isso acho que Cris Poli prestaria um grande serviço a sociedade se usasse algum espaço em seu programa para divulgar profissionais que poderiam fazer seu trabalho pelo Brasil).

Fora isso, agora ela inventou de escrever livrecos de auto-ajuda que são como receitas de bolo para pais aflitos de filhos-problema... Com isso ela perdeu pontos no meu conceito!

De um modo geral eu sou a favor de Reality Shows como SuperNanny uma vez que eles divulguem alguma ciência ou técnica (Assim como Pimp My Ride divulga o belo trabalho de engenharia e afins em oficinas mecânicas).

Mas depois de ver um episódio de SuperNanny não se dê por satisfeito: pegue as anotações que você fez ao longo do programa e vá estudar o que ela fez, quais técnicas usou, o que significam ela, no que a observação da “analista” foi boa e no que foi má, quais suas falhas e acertos em termos de resultado, etc.

SuperNanny vale como divulgação e ilustração, mas não como aprendizagem efetiva. Ninguém vai aprender a modificar comportamentos vendo um show de tv.


2 comentários:

Rodrigo Nunes Xavier disse...

Olá, Alessandro!

Vim sapear o seu blog e deixar um comentário nesse post.

Eu num gosto da SuperNany não. Já até me ajudou na facul, qdo eu tava aprendendo treino de pais em modificação do comportamento... mas depois pensei nas questões éticas envolvendo a exposição das cças na tv e as distorções, naturais em um rality. Tem um tópico em q o pessoal discute isso no fórum da comu de análise do cpto.

Abraços.

herman disse...

Olá Alessandro, tudo bom?

Parabéns pelo seu blog, muito bom.
Aproveitando o conselho que você dá acima, de assitirmos a supernanny, mas estudar as técnicas na origem, gostaria de saber se você poderia me dizer o nome da técnica que ela usa para a pessoa sentir como outra se sente, como quando colocou os pais em uma bolha para que eles pudessem perceber os efeitos de criarem os filhos numa redoma, como no episódio de 05/01/13, e quando os pais aitram bonecos dos filhos em um abismo para sentirem como estão abandonando-os. Se puder me ajudar, ficaria muito agradecido.

muito Obrigado