sábado, 6 de outubro de 2007

Um Imposturômetro para Auto-Ajuda



Se você não leu "Imposturas Intelectuais" sugiro que leia. Foi dessa obra majestosa que veio a idéia deste post!





Note, caro leitor: é a primeira vez que eu recomendo um livro neste Blog!!!!!

Alan Sokal e Jean Bricmont, "Imposturas intelectuais". Rio de Janeiro: Record, 1999
.





Tive a idéia de criar um "imposturômetro". Isto é, uma forma de medir a quantidade de imposturas intelectuis que um livro de auto-ajuda profere.

Entendo que dentro os livros desse gênero todos são ruins, mas há alguns que são piores. Pois é.. Como saber quais os campeões de bobagens? Como precisar quem é o autor mais impostor? Como estabelecer uma escala de poder de intoxicação desses livros?

Este post tenta dar uma solução a tudo isso com um checklist bem simples.

Escolha um livro de auto-ajuda X. Sobre ele, para cada uma das perguntas seguintes, responda com "sim" ou "não". Para cada "Sim" marque 1 ponto.

Ok?

Vamos lá.

Sobre o autor

1) O autor se auto-elogia? (Um auto-elogio pode ser camuflado em depoimentos de amigos famosos ou citações repetidas de títulos acadêmicos e sucessos de vendas, portanto, cuidado com a sutileza deste ponto!)

OBS: Se em algum trecho ele se sugere que é um gênio ou "mago" ou se arrola ao lado de Da Vinci e Freud, então marque 3 pontos ao invés de 1.


2) Ele sugere que descobriu algo fantástico e estonteante e que está te fazendo um favor incomensurável em te revelar isso ?

OBS: Se em algum momento ele diz que suas descobertas vão revolucionar a Ciência e/ou o Mundo caso aplicadas, então marque 3 pontos ao invés de 1.


Sobre o livro


3) Ele promete cura garantida para o problema de que trata, caso seguidas as instruções, ou sugere que a resolução é "como mágica"?

OBS: Se o livro deixa entendido que é um método para resolução de QUALQUER problema então ele pontua 3 pontos.


4) Diz que o processo de superação dos problemas é fácil e simples, e qualquer um pode fazer sem muito esforço?

OBS: Se o livro insiste que essa "mágica" não precisa ser entendida, que é algo misterioso mesmo que você precisa apenas aceitar, então marque 2 pontos ao invés de 1.


5) O livro tem bibliografia? Caso não, marque 2 pontos.

6) O livro foi escrito em uma prosa "homeopática"? (Cheia de resumex, estilo prosaico, frases de efeito, historinhas para ilustrar, e com poucos conceitos densos?) Caso sim, marque 1 ponto.

7) O livro enfatiza o papel do leitor como solucionador de si mesmo? Em outras palavras, diz coisas como "Tudo depende de você. Apenas de você"

Ok, ok.

Agora você sabe medir o quão impostor um livro de auto-ajuda é, porque você aprendeu a usar a super, mega, ultra "Escala AVR de impostura em auto-ajuda" (Onde AVR é a sigla de Alessandro Vieira dos Reis). Em breve, numa banca perto de você, por apenas 14$99.

Ela vai de 0 a 15, onde "0" significa que o livro não é auto-ajuda e 15 que ele é realmente muuuuuito ruim.

Eis aí alguns exemplos feitos por mim:

"Quem somos nós" - 9 pontos

Esse é mesmo muito ruim, especialmente a parte do "cura tudo e fácil".

"Inteligência Emocional" - 4 pontos.

É auto-ajuda, mas beeeem camuflado de livro científico, por isso pontuou pouco. Tanto é que engana até psicólogos experientes por aí.

"O Monge e o Executivo" - 6 pontos.

6 pontinhos.. bem na média.. um livro de auto-ajuda padrão.

"O Segredo" - 15 pontos !!!!!!!!!

Esse é um caso paradigmático que merece ser estudado a fundo pelos auto-ajudólogos (ramo da Psicologia que acabo de inventar que se destina a desintoxicar as pessoas quem lêem livros de auto-ajuda).

2 comentários:

Luiz disse...

Gostei do imposturômetro e estou recomendando!
Essas obras farsantes não podem permanecer camufladas do rigor ético adequado para a elaboração de conceitos filosóficos e científicos.
Elas não possuem tal rigor e são boas arapucas para pessoas ingênuas.
Parabéns pelo post!

Diely disse...

só de saber que eu faço faculdade de psicologia e que minha professora debateu o livro "inteligencia emocional" um semestre inteiro, é um caso complicado hein... =/

otimo blog, alias.
beijos.